Blog do Jornal Dois Irmãos


23/10/2014

Nova crise preocupa setor calçadista em Dois Irmãos

Demissões passam de 600 em 2014 e 10 empresas fecharam

A expectativa de um ano bom para o setor coureiro-calçadista não se confirmou. De janeiro até agora, dez empresas já fecharam as portas – nove delas em Dois Irmãos e uma Morro Reuter. Para piorar, a perspectiva a curto prazo não é animadora.
De acordo com o presidente do Sindicato dos Sapateiros de Dois Irmãos e Morro Reuter, Romeo Schneider, o fechamento de empresas é reflexo de diversos fatores. “O ano de 2014 não foi bom para o setor. Tínhamos a Copa do Mundo, em que a expectativa era boa, mas não se confirmou. Além disso, fomos afetados pela crise internacional, especialmente a da Argentina, que era o segundo país que mais importava calçado brasileiro”, diz ele, acrescentando a queda no mercado interno. “O mercado brasileiro também não consumiu. Percebemos que as pessoas não estão priorizando o vestuário. Elas estão distribuindo mais a renda, investindo em outros setores. Hoje em dia, as pessoas estão investindo muito em celular e veículos”, analisa. 
O fechamento de nove pré-fabricados e uma fábrica representam 250 demissões diretas. Segundo Romeo, nenhum desses funcionários recebeu qualquer direito trabalhista. A partir de agora, a cobrança será na Justiça do Trabalho. “Temos duas audiências já marcadas, ainda em outubro. Posteriormente, outras serão agendadas”, comenta Romeo, destacando ainda a redução de funcionários e o fechamento de filiais de grandes empresas de Dois Irmãos. “Também tivemos grandes indústrias calçadistas demitindo funcionários. Uma delas chegou a fechar uma filial”, acrescenta o presidente do sindicato.
 Somados, o número de trabalhadores demitidos no setor calçadista em 2014 já passam de 600.

Setor já empregou 9,2 mil e hoje tem 5 mil trabalhadores

O presidente do sindicato destaca ainda que, na década de 90, 100% do calçado produzido em Dois Irmãos era exportado – quase 70% só para os Estados Unidos. Nos anos de 1994 e 1998, crises afetaram o setor e, consequentemente, veio a falta de emprego. “Aos poucos, as políticas industriais foram mudando. As empresas começaram a exportar para mais países e a fazer muito mercado interno. Com as crises, as empresas também buscaram novos nichos de mercado e serviço terceirizado. Chegamos a ter 100 pré-fabricados em Dois Irmãos. Nos últimos 10, 15 anos, os atelieres foram responsáveis por 40% da produção do calçado. Em razão disso, foram responsáveis, na época, pela geração de mais empregos”, destaca ele. Hoje, o setor calçadista do município conta com 50 empresas de pré-fabricado e oito fábricas. Atualmente, o setor coureiro-calçadista emprega aproximadamente 5 mil pessoas nos dois municípios, sendo 4,2 mil em Dois Irmãos e 800 em Morro Reuter. O declínio tem sido gradativo ao longo dos últimos anos. No auge do calçado, o setor chegou a empregar 9,2 mil trabalhadores.

Auge da crise previsto para primeiro trimestre de 2015

Na opinião de Paulo Vicente Bender, presidente do Sindicato Patronal, a atual crise não afeta apenas o setor coureiro-calçadista. “Vivi crises nas décadas de 70, 80, 90, e, na minha opinião, a de agora é uma das piores. E o pior ainda está por vir. Independente de quem vencer as eleições, o Brasil terá um problema sério. O governo atual deixou a indústria chegar a um patamar no qual o Brasil é um país caro em tudo o que exporta”, diz ele, destacando principalmente o calçado e as consequências sofridas pelo setor. “Tudo isso gerou a redução das fábricas e, consequentemente, dos empregos. Hoje em dia, de todo o calçado produzido em Dois Irmãos, apenas 30% é exportado. O restante é mercado interno”, completa.
Segundo Vicente, a crise no setor vinha se arrastando desde o início do ano, ocasionando as mais de 400 demissões nas grandes empresas calçadistas do município e suas filiais. Diante do quadro de incertezas, os empresários seguem atuando com cautela. “Temos uma grande preocupação, principalmente com o ano de 2015. Ainda não estamos no auge da crise. Na minha visão, veremos isso no primeiro trimestre do ano que vem. Quem governar vai ter que recuperar a credibilidade brasileira”, diz ele, reiterando a cautela dos empresários após a crise que se instalou. “Todos estão muito cautelosos e também não tenho visto investimentos. O que estão fazendo, é tentando manter o grupo de funcionários”, acrescenta Vicente.

Dissídio dos últimos anos

2011 8% (6,87% de inflação + 1,13% de aumento real)
2012 7,5% (5,36% de inflação + 2,14% de aumento real)
2013 8% (6,38% de inflação + 1,62% de aumento real)
2014 7% (6,33% de inflação + 0,67% de aumento real)


Mais de 90 horas sem luz no Travessão Rübenich


Quatro famílias da Estrada Morro dos Reis, número 2000, no bairro Travessão Rübenich, em Dois Irmãos, estão há mais de 90 horas sem luz. O problema iniciou no último sábado, por volta das 21h. Inúmeros protocolos já foram registrados na Central de Atendimento e no escritório da AES Sul, além da visita de equipes de manutenção com caminhonete no local, mas até agora nenhuma providência foi tomada para restabelecer a energia elétrica na casa das quatro famílias.
O morador Geromar Pereira, 33 anos, não sabe mais o que fazer para que a energia retorne na sua casa e na dos vizinhos. “Já registrei 17 protocolos, fui no escritório da AES Sul, já contatei a Brigada Militar, a equipe de manutenção veio de caminhonete várias vezes, mas não alcançam o local onde está o problema. A própria equipe telefonou para a central solicitando o caminhão, mas até hoje, não apareceram”, conta o morador. Na manhã desta quarta-feira, o atendimento da AES Sul prometeu a ele que o fornecimento de energia elétrica seria restabelecido até o meio-dia, mas nenhuma equipe esteve no local até as 15h. A vizinha de Geromar, Marilei Pereira, 37 anos, já teve que jogar fora sete quilos de carne, mortadela, queijo e salsicha. “Estou tentando conservar alguns produtos no freezer, mas o congelamento não vai durar muito tempo”, lamenta ela, que já registrou mais de 10 protocolos.

SEM RETORNO

A redação do Jornal Dois Irmãos contatou a assessoria de imprensa da AES Sul Distribuidora Gaúcha de Energia, mas até o fechamento da edição, às 16h30, não obteve  retorno.

15/10/2014

Dois Irmãos terá espetáculo alemão da região do Hunsrück

Nos próximos dias 22, 23, 25 e 31 de outubro, quatro municípios da região receberão pela primeira vez um grupo profissional de teatro da região de Hunsrück, na Alemanha. Durante a turnê, eles subirão aos palcos das cidades de Santa Maria do Herval, Picada Café, Morro Reuter e Dois Irmãos, respectivamente. O grupo trará ao público a comédia “Geld Stinkt Net” (ou “O Dinheiro Não Fede” ). A peça conta a história de um senhor que quer se aposentar e deixar sua fábrica aos netos. Entretanto, a fábrica está prestes a falir e ele precisa reverter essa situação. Eis que, depois de muito rezar, um anjo lhe aparece oferecendo ajuda e, como condição pede que ele ofereça sua alma ao diabo. Antes de tomar qualquer decisão, ele conta com a ajuda das boas ideias de sua fiel secretária. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3564-4888. 

PROGRAMAÇÃO

Dia 22 de outubro
Local: Comunidade Católica de Santa Maria do Herval
Venda antecipada de ingressos: 
Escolas Municipais e Mercado Piá
Dia 23 de outubro 
Local: Sociedade Aliança de Picada Café
Venda antecipada de ingressos: Escolas Municipais, 
Farmácia Central e Mercado Piá
Dia 25 de outubro 
Local: Sociedade Picada São Paulo de Morro Reuter
Venda antecipada de ingressos: 
Mercado São Paulo e Mercado Piá
Dia 31 de outubro 
Local: Teatro Adriano Schenkel em Dois Irmãos
Venda antecipada de ingressos: Curto Arte

25ª Feira do Livro de Dois Irmãos acontece de 5 a 9 de novembro

De 5 a 9 de novembro, o mundo da arte e da literatura irá invadir Dois Irmãos durante a 25ª Feira do Livro, na Praça do imigrante. Durante toda a programação, diversas atrações, para todas as idades, estarão envolvendo o público das 8h às 20h30. O patrono desta edição será o ator, diretor e escritor Carlos Alberto Klein, o Betinho, que há mais de 20 anos vem fomentando a cultura no município, especialmente através do teatro. A abertura oficial do evento será no dia 5 de novembro, às 19h30, na Praça do Imigrante. Porém, a programação inicia já pela manhã, seguindo com uma agenda cheia durante os cinco dias da feira.
Ao longo da programação, o público poderá participar de bate-papos com autores como Monika Papescu, Viviane Juguero, Márcia Funke Dieter, Márcia do Canto, Carlos Steigleder, Antonio Schimeneck e Cláudio Levitan, além de escritores do município. Além dos bate-papos, peças teatrais e apresentações de canto e dança também integram a programação, assim como mateadas e exposição do Projeto Envolver para Transformar - Artes Plásticas e Fotografia. No dia 8 de outubro, às 10h, acontece o lançamento oficial do “Livro da Herta”, do patrono Carlos Alberto Klein. Paralelas às atividades na Praça, atividades estarão sendo desenvolvidas na Biblioteca Pública Paulo Arandt, como a exibição de vídeos do Instituto Nacional do Livro e Mostra de Filmes sobre Meio Ambiente e Projeto Claquete.

O PATRONO

Carlos Alberto Klein nasceu em Dois Irmãos. É filho de Edwino Klein e Cecília Leopoldina Klein. Iniciou sua carreira profissional trabalhando em indústrias de calçados. Após alguns anos, migrou para o ramo do comércio. Sempre muito comunicativo, na época já realizava diversas ações culturais em Dois Irmãos. Em 1992, resolveu ingressar para o mundo das artes, buscando cursos e oficinas teatrais na região do Vale do Sinos e em Porto Alegre. Passou a acreditar que poderia viver da cultura. Hoje, aos 44 anos, é ator, autor, diretor e produtor cultural com grande prestígio na região, sendo o criador de personagens de destaque como a famosa Herta.

Tradição de cultivar hortas em casa ganha novo incentivo

Falta de espaço não é mais desculpas para desistir de ter uma horta dentro da sua casa ou apartamento, e colher suas hortaliças fresquinhas. Este é um dos pontos abordados pela cartilha da Secretaria de Agricultura e Departamento de Agricultura e Abastecimento de Dois Irmãos, para incentivar que as pessoas retomem a antiga tradição de ter em suas casas hortas com temperos, hortaliças e chás.
Essa é uma das tradições cultivadas pela industriária aposentada Christina Soine, 59 anos, herdada pela sua mãe. Desde que se aposentou, cuidar da horta é o melhor passatempo de Christina. Mas, segundo ela, a horta já era passatempo depois de chegar do serviço e aos finais de semana. “Cultivo alface, pepino, repolho, vagem, cenoura, couve-flor, temperos, além de muitas variedades de flores e chás”, conta a aposentada, enquanto colhia cenouras. Além de saber a origem dos alimentos, ela acredita que trabalhar na horta é uma verdadeira terapia.  

CARTILHA GRATUITA

A cartilha do Projeto Horta em Casa irá percorrer as escolas das três redes de ensino da cidade para divulgar a ideia. A atividade será promovida pelo chefe do departamento Alan Jonathan Kuhn. “Vamos começar a conscientização pelos jovens para que passem essa proposta para os familiares. A intenção é apresentar alternativas de cultivos em pequenos espaços, e mostrar que é possível em sacadas, vasos, caixas, garrafas PET, latas ou utensílios de cozinha ter pequenas hortas”, explica.
O material traz dicas de uso dos alimentos, locais e formas de plantio, sugestões de materiais que podem ser utilizados para servirem de base para a horta, calendário de cultivo para cada cultura, indicações de plantas entre outras informações. A cartilha está disponível na Prefeitura, Sindicato Rural, Departamento de Agricultura e Abastecimento e na Emater. Contatos pelos telefones 3564-6614 e 8466-1599.

Morro Reuter - 9º Concurso de Narrativas teve mais de 500 inscritos


Comissão julgadora (foto) se reuniu na última segunda-feira para apontar os vencedores

Em reunião realizada nesta segunda-feira foram definidos os vencedores do 9º Concurso de Narrativas, na Secretaria de Educação e Cultura, de Morro Reuter. Conforme Andreia Ternus, umas das organizadoras do projeto, nesta edição teve 544 textos inscritos de diversos locais, inclusive do exterior, como Japão e Portugal.
O tema deste ano é “Novos Contos de Fadas”. O concurso faz parte da programação da 21ª edição da Feira do Livro e da Leitura, que começa nesta quinta-feira e segue até sábado. Os vencedores receberão prêmios distintos, de acordo com sua categoria, sendo material de desenho, material escolar, livros, e até um tablet.
A premiação acontece no próximo sábado, dia 18, às 16h30, no salão paroquial da Comunidade Católica Imaculada Conceição. Conheça os vencedores de cada categoria:


Educação Infantil 4 e 5 anos
1º Alana G. Junges Groff
2º João Felipe Schneiders
3º Arthur Hert

1º ano do Fundamental
1º Amanda Boufleur Sommer
2º Pyetra de Oliveira Juchem
3º Eduardo Tomazoni
4º Evilyn Eduarda Arnold

2º e 3º anos do Fundamental*
1º Anne Mikayla Nobre Silva
2º Eduarda Santos 
3º Érico Vier Kroth 

4º, 5º e 6º do Fundamental
1º Maiquele Keller
2º Karem Vanessa Dapper 
3º Bruna Eduarda Arnold

7º, 8º e 9º do Fundamental
1º Willian Ivan Philippsen
2º Nathália Kalichak
3º Pablo Richelmi Reinhardt

Ensino Médio
1º Ketlin Sebastyiany
2º Milena Farias dos Santos
3º Carolina Holz

EJA
1º Kerollen Cristiane Mendes
2º Júnior César de Almeida
3º Cínara Pereira

Graduação e pós-graduação
1º Filipe Klimich Rodrigues
2º Mislaine Marilles
3º Douglas Rosa da Silva

Livre
1º Andreia Palmeira
2º Hugo Ricardo Lengert
3º Bruna Cristina Cunha

Escritor
1º Ângela Ariadne Hoffmann
2º André Telucazo Kondo
3º Gladis Berriel

* Categoria 2º e 3º anos teve menções honrosas para Adriana S. Pereira (Edvino Bervian), 
Djenifer Viana do Nascimento (João Wagner) e José Eduardo Stoffel (Tiradentes)

Grêmio tem eleição para presidente neste sábado

Ademir Schneider está junto na campanha de Romildo Bolzan Jr., da chapa 4


Neste sábado, dia 18, acontece o segundo turno das eleições presidenciais do Grêmio para o biênio 2015-2016. Os candidatos são Romildo Bolzan Jr. (chapa 4) e Homero Bellini Júnior (chapa 5), que disputam os votos dos associados gremistas. Na votação dentro do Conselho Deliberativo, no último dia 7, Romildo atingiu 140 votos contra 107 de Homero.
Ademir Schneider, sócio do Grêmio há 38 anos, está bastante envolvido na campanha de Romildo Bolzan Jr. à presidência. “Ele é um gremista fanático e está muito bem preparado para assumir o clube. Com certeza será um grande presidente”, comenta. O candidato da chapa 4 segue a linha de trabalho do atual presidente, Fábio Koff, que deverá ser vice de futebol. “Ele vai dar continuidade à gestão do Fábio Koff, ainda mais agora, com o acerto para a compra da Arena. O Grêmio está há muitos anos sem conquistar um título de expressão e a situação financeira impede a formação de um time diferenciado. Com a compra da Arena, o clube terá condições de formar novamente um time vencedor”, acrescenta o gremista Ademir, que é ex-vereador de Dois Irmãos e ex-prefeito de Santa Maria do Herval.
Romildo Bolzan Jr., 54 anos, garante que levará adiante o processo da compra da Arena e promete duplicar a arrecadação do quadro social. “Vamos levar esse projeto à frente. Trabalhar a ideia de duplicar a arrecadação do quadro social, passar dos R$ 4,8 milhões para R$ 10 milhões ao mês. Teremos que operar o estádio e fazê-lo dar lucro. Temos que dar segurança jurídica e política ao clube para fazer esses investimentos”, afirma o candidato.

COMPRA DA ARENA

Nesta terça-feira, o presidente Fábio Koff anunciou que o clube chegou a um acerto com a OAS para comprar o estádio. A compra ainda terá de ser analisada pelo Conselho Deliberativo, que só deve tratar do assunto após a eleição. O valor estimado da negociação é de R$ 480 milhões. A quitação seria em 20 anos, a partir de 2016, com pagamentos anuais de R$ 24 milhões, amortizados ao longo do contrato. Para convencer a construtora, o Grêmio deu como garantia os recebimentos com direitos de TV, avaliados em R$ 60 milhões anuais.